Review: Dua Lipa - Future Nostalgia


O Rock In Rio passou, e quem encerrou a edição 2022 foi na real uma estreante: Dua Lipa. A britânica de 27 anos encerrou a noite de domingo (11) e o festival, e eu pensei: ok, por que não aproveitar a vibe e escrever um pouco sobre ela? Então eu dei um pulo lá em 2020 pra trazer o Future Nostalgia, segundo álbum de estúdio da cantora.


É interessante uma cantora tão jovem ter uma ascensão tão grande em relativamente pouco tempo. Em 2017 ela veio ao Brasil como abertura do Coldplay, e agora volta como headliner de um dos maiores festivais de música do mundo. Para isso a cantora veio armada com seus dois álbuns, e embora o primeiro não me cative muito pra'lém de IDGAF e New Rules, Future Nostalgia é totalmente diferente.

O timing do álbum foi exato: Dua Lipa acertou em antecipar o lançamento, pois era um tempo de pandemia, e todo mundo precisava de motivos pra manter não perder a felicidade. Eu adoro o tanto que os anos 80 e 90 (talvez 2000) inspiram esse álbum na sonoridade, com samples bem exploradas e linhas de baixo maravilhosas. Se tem uma coisa que eu adoro é darem o carinho que o baixo merece.

Como resultado, a cantora cria uma pista de dança na nossa cabeça. As vezes o Future Nostalgia me faz lembrar da era disco, a Madonna anos 80, do Lasgo, ou Physical me lembra Holding Out For a Hero da Bonnie Tyler. Outro ponto positivo é a tracklist: esse álbum não é desconexo, sabe?

Future Nostalgia tem um fluxo, até lembra o setlist de um DJ pela ligação de uma faixa na outra, sem espaço pra gente respirar - e isso é ótimo. Juntando isso com os back vocais, os hey hey da galera ao fundo em várias músicas, reforça o ar festivo, easy going, dá vontade de bater o pé ou dançar sentada. E é bom demais lembrar que ainda não é proibido ser feliz.

O vocal da Dua Lipa é mais graves, menos nasalado, e eu gosto disso. Ele dá um groove gostoso às músicas, preenche elas de forma satisfatória. Diferencia um pouco do que eu tô acostuma a ouvir nesse mundo de música dançante.

Vale a pena ouvir Future Nostalgia?


Bastante. Eu adoro música eletrônica e dançante no geral. Future Nostalgia presta uma homenagem digna ao passado dançante no som e nos visuais, mas de um jeito moderno. Esse destaque pro baixo é uma ótima lembrança das músicas do Michael Jackson. Pela idade a Dua Lipa não viveu viveu a era de todas essas referências que ela puxa, mas ainda assim capturou a essência delas muito bem.

Plus: a britânica faz parte de uma nova geração de cantoras desse segmento que é bem empolgante, com outros nomes como Ava Max Rita Ora. Junte com veteranas como Lady Gaga, Ariana Grande, Charlii XCX, e os fãs de eletrônica/pop/relacionados vão ficar em paz: a pista de dança vai ficar aberta por mais uns bons anos.

Solte o play no álbum completo


Faixas favoritas: Physical, Pretty Please, Break My Heart


Postar um comentário

0 Comentários