Lost in Play Review


Lost in Play é o jogo para quem busca uma experiência single player interessante e espirituosa. Há uns bons nós vivemos a era dos multiplayers, e muita gente debateu se isso seria o fim do single player. É como a conversa de que o MP3 iria matar o rádio: não matou, e todos convivem bem na medida do possível. Os games e a música.

Desenvolvido pelo Happy Juice Games e publicado pelo Joystick Ventures para PC e consoles em 2022, Lost in Play chegou para Android e iOS este ano. O game segue Toto e Gal numa aventura épica onde os irmãos precisam voltar para casa. Nesta aventura os dois irão explorar belos cenários, conhecer criaturas mágicas, e resolver quebra-cabeças misteriosos.


Jogar Lost in Play é simples de um jeito muito divertido, com cenários que parecem saídos de dentro de um sonho infantil, colorido, com um Q de Fantasia da Disney. O jogo cutuca a sua curiosidade de clicar explorando cada cenário, e raciocinar soluções às vezes bem curiosas para os quebra-cabeças. Encalhou num quebra-cabeça? Não tem problema: na versão paga é possível pular eles. Eu usei o recurso no puzzle que era uma partida de damas. (Sou péssima jogando damas)

O valor de produção de Lost in Play é enorme mesmo sem o jogo ser mega elaborado. Os gráficos desenhados lembraram clássicos como Monkey Island, com personagens interessantes e bem divertidos. Os meus favoritos de longe são os sapos de uma das áreas iniciais, um trio muito divertido. O fato de nenhum personagem em Lost in Play ter falas é interessante, pois a comunicação acontece sem problemas. A qualidade vale para trilha sonora, que proporciona uma experiência mais imersiva.

O trio mais legal do jogo

Lost in Play é grátis para jogar até certo ponto, enquanto a versão completa custa R$ 30 (vale o preço). O point-and-click teve o auge na era dos jogos Flash e sites como Kongregate. Ainda assim o gênero vive, com sucessos como o hilário Henry Stickmin, o incrível Papers, Please, e o recente Amanda the Adventurer. Agora Lost in Play entra para essa lista com o seu jeito colorido, caloroso, e adorável de contar a história de Toto e Gal.



Vale quantos cafés: ☕☕☕☕ (4 de 5)

Postar um comentário

0 Comentários